Noticias

Vereador Bruno Pessuti sugere que cartão de transporte seja única forma de acesso a micro-ônibus - Bruno Pessuti

Vereador Bruno Pessuti sugere que cartão de transporte seja única forma de acesso a micro-ônibus

11 de Junho de 2013
Na última semana, o Tribunal de Justiça do Paraná julgou que a proibição da dupla função de motoristas é válida e deve ser implementada em Curitiba. O vereador Bruno Pessuti (PSC) concorda com a decisão, mas alerta: o cumprimento da legislação pode acarretar em aumento na tarifa técnica do sistema de transporte praticada na cidade.
“Para cumprir a lei as empresas terão que adaptar os micro-ônibus e contratar pelo menos mais 500 cobradores. Acreditando que que existem soluções mais modernas e mais baratas, sugiro que uma das formas de se resolver este impasse seria a implementação do cartão transporte como única condição de acesso aos micro-ônibus”, disse Bruno Pessuti.
Atualmente a rede de transporte da capital opera com 180 micro-ônibus, sendo 150 em operação e 30 carros reserva. De acordo com cálculos da URBS, a readaptação dos veículos para cumprir a legislação que proíbe a dupla função custará R$ 1,8 milhão. Já a contratação de 500 cobradores para assumir os novos postos custará R$ 1,5 milhão por mês. Hoje esses veículos transportam 70,4 mil passageiros por dia. Destes, 60% usam cartão transporte.
Com base nestas informações, calcula-se que somente no primeiro ano serão gastos mais de R$ 15 milhões com a adaptação dos ônibus e a contratação de novos cobradores – o que acarretaria em um aumento aproximado de R$ 0,05 na já deficitária tarifa técnica de Curitiba.
“A Prefeitura vem buscando novas opções para baratear o transporte e, caso nossa sugestão seja acatada e o cartão transporte seja implementado como única forma de acesso para os outros 40% dos usuários que não o usam, o sistema pelo menos não irá custar ainda mais caro”, finalizou Bruno Pessuti.