Noticias

Comissão de Meio Ambiente da Câmara vai discutir novas tecnologias para gestão do lixo em Curitiba  - Bruno Pessuti

Comissão de Meio Ambiente da Câmara vai discutir novas tecnologias para gestão do lixo em Curitiba

12 de Março de 2013


Novas tecnologias para destinação final dos resíduos sólidos deverão entrar na pauta da Comissão de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável da Câmara de Vereadores de Curitiba nos próximos meses.

Queremos abrir a discussão e ampliar o conhecimento sobre novas tecnologias para a destinação dos resíduos, incluindo a reciclagem, o tratamento biológico e até mesmo a possibilidade de transformar os resíduos em biocombustíveis", declarou o presidente da Comissão de Meio Ambiente, vereador Bruno Pessuti (PSC).

Nesta terça-feira (12), a Comissão recebeu o secretário do Meio Ambiente de Curitiba, Renato Lima, que falou sobre os custos da coleta e destinação dos resíduos na capital."Enquanto ações judiciais impedem a implantação do Sistema Integrado de Processamento e Aproveitamento de Resíduos (Sipar), nós estamos pagando R$ 16 milhões por mês para enterrar o lixo em Fazenda Rio Grande", informou o secretário Renato Lima.

Segundo ele, a equipe da Secretaria está estudando a possibilidade de utilização de novas tecnologias que não se limitam apenas à disposição final dos resíduos em aterros sanitários.

De acordo com o procurador geral do Município, Joel Macedo Pereira Neto, que esteve presente na reunião, a licitação para a escolha da empresa ou consórcio que vai gerir o Sipar está suspensa pela Justiça e possui mais de 60 ações judiciais.

Política ambiental - A temática "resíduos sólidos" foi apenas um dos assuntos apresentados pelo secretário Renato Lima. Ele ainda falou sobre ações e projetos que deverão ser implementados pela atual gestão municipal. Técnicos e responsáveis pelas áreas de fauna, conservação ambiental, parques e praças e educação ambiental também participaram da reunião.

Segundo Renato Lima, que é professor da Universidade Federal do Paraná (UFPR) e foi idealizador do Núcleo Interdisciplinar de Meio Ambiente e Desenvolvimento da UFPR e do Centro de Apoio Científico em Desastres, entre as metas está transformar Curitiba em uma cidade modelo de gestão de risco para a América Latina.

"Estamos trabalhando em um plano municipal de gestão de risco e no plano municipal de mitigação das mudanças climáticas", mencionou o secretário.
Outras ações como o incentivo a manutenção de áreas verdes, divulgação da fauna, recuperação das bacias hidrográficas, uso sustentável da água e economia verde estão entre os projetos que serão desenvolvidos pela Secretaria Municipal do Meio Ambiente nos próximos meses.

O presidente da Câmara, Paulo Salamuni (PV), fez a abertura da reunião e disse que a criação da Comissão é uma contribuição inestimável para Curitiba.
Também estiveram presentes na reunião os integrantes da Comissão, o vereador Helio Wirbiski (PPS), vice-presidente Aladim Luciano (PV) Felipe Braga Côrtes (PSDB)