Noticias

Bruno Pessuti quer implementar projeto de lei Rio da Minha Rua em Curitiba - Bruno Pessuti

Bruno Pessuti quer implementar projeto de lei Rio da Minha Rua em Curitiba

21 de Março de 2013
O vereador Bruno Pessuti (PSC) anunciou nesta semana, durante sessão plenária na Câmara de Vereadores de Curitiba, que apresentará nos próximos dias um projeto de lei para contribuir com a proteção dos rios de Curitiba.

O Rio da Minha Rua" é um projeto pioneiro da cidade de Londrina e que será transformado em proposição pelo vereador curitibano.

"é um novo e moderno conceito de educação e gestão ambiental que abre um ciclo de conscientização comunitária", explicou Bruno Pessuti. A ideia é identificar as microbacias, utilizando como referência de localização as nascentes, os córregos, os rios e os lagos. Assim, cada pessoa, empresa, escola, igreja, associação de moradores ou outro tipo de organização saberá qual é o rio da sua rua.

"Esperamos que a partir do momento que as pessoas passem a conhecer melhor o rio que corta o seu bairro ou região, elas realizem ações de preservação e recuperação das suas margens e das suas águas", destacou o vereador.

O projeto ainda prevê que as placas de sinalização das ruas e avenidas de Curitiba incluam, obrigatoriamente, o nome do rio e da bacia hidrográfica em que estão localizadas.

LAGOS E PARQUES - Recentemente, o vereador Bruno Pessuti também apresentou o Projeto de Lei 005.0018.2013 que prevê a divulgação dos resultados das análises da qualidade da água dos rios e lagos dos parques de Curitiba.

Os resultados das análises - realizadas pela Secretaria Municipal do Meio Ambiente ou Instituto Ambiental do Paraná (IAP) - deverão ser divulgados mensalmente à população, nos locais onde o contato com a água é esporádico ou acidental, por meio de painéis e no website oficial da Prefeitura de Curitiba.

O objetivo é informar sobre o nível de poluição que pode ser prejudicial à saúde, de acordo com critérios e índices estipulados pelo Conselho Nacional de Meio Ambiente (Conama).

Sendo confirmados índices de poluição para uso de recreação (como, por exemplo, pedalinhos, canoagem e outros), o poder público deverá instalar placas sobre a interdição em toda a extensão do lago ou rio.

Bruno disse ainda que um rio poluído, além de contaminar o solo e o lençol freático, possibilita a transmissão de doenças, refletindo em perdas econômicas para a cidade.
"Em contrapartida, rios saudáveis controlam as cheias, conservam a biodiversidade, regulam o microclima e proporcionam bem estar à população", finalizou Bruno.
"