Noticias

BRUNO PESSUTI PROPõE FRENTE PARLAMENTAR MUNICIPAL DA MOBILIDADE URBANA SUSTENTáVEL EM CURITIBA - Bruno Pessuti

BRUNO PESSUTI PROPõE FRENTE PARLAMENTAR MUNICIPAL DA MOBILIDADE URBANA SUSTENTáVEL EM CURITIBA

30 de Janeiro de 2013

O vereador Bruno Pessuti pretende criar a Frente Parlamentar Municipal da Mobilidade Urbana Sustentável em Curitiba. O requerimento com a proposta foi encaminhado à presidência da Câmara Municipal, nesta terça-feira (29), após reunião com cicloativistas, realizada na tarde de ontem (28). O encontro contou com a presença do vereador, Jonny Stica (PT), que também fará parte da Frente.
De acordo com o vereador Bruno Pessuti, o objetivo será acompanhar e criar políticas públicas sobre o tema. Vamos discutir todas as questões que permeiam as alternativas de modais de transporte sustentáveis", disse Pessuti.
Entre os temas que farão parte das discussões da Frente na Câmara Municipal de Curitiba estão acessibilidade, calçadas, sinalização, pólos geradores de trânsito, programas de incentivo à carona solidária e campanhas educativas.
O coordenador do Programa Ciclovida da Universidade Federal do Paraná (UFPR), José Carlos Belotto, adiantou que o grupo pretende trazer para a Frente Municipal debates sobre o Plano Municipal de Apoio à Bicicleta.
Outra proposta que está já sendo discutida com a administração municipal é a criação de um departamento de apoio à mobilidade não motorizada.
Para o ciclo ativista, Danilo Herek, todas as medidas são bem vindas. "é a comprovação de que a bicicleta - um meio de transporte de baixo custo, ambientalmente correto e que traz benefícios à saúde, está ganhando cada vez mais espaço para a sua defesa", declarou Danilo.
O presidente da Associação de Ciclistas do Alto Iguaçu (CicloIguaçu), Jorge Brand, falou sobre um dos projetos da entidade. "Estamos construindo um roteiro do Cicloturismo para Curitiba e Região Metropolitana (RMC) com ampla participação social. Vamos buscar o apoio da Câmara para esta iniciativa", antecipou Brand.
O CicloIguaçu foi criado em maio de 2011 e já conta com 200 integrantes. "O objetivo principal é tornar a bicicleta um vetor da transformação social e urbana", destacou Jorge. Para ele, as cidades devem priorizar o transporte coletivo e não motorizado, ou seja, os ciclistas e pedestres.
"Não podemos imaginar uma cidade onde todas as pessoas utilizem o carro para desenvolver suas atividades. Curitiba está despertando deste sonho motorizado, tem uma massa crítica e consenso acadêmico de que precisa investir muito mais no transporte coletivo e na bicicleta", finalizou o presidente da CicoIguaçu.
NOVO MODELO - A Prefeitura de Curitiba anunciou, na última sexta-feira (25), a extinção do projeto Ciclofaixas de Lazer - que se estende por quatro quilômetros na região central. Durante reunião com diversas entidades, foram apresentadas propostas para a criação de um novo circuito que atenda as necessidades da ciclomobilidade.
O atual modelo das Ciclofaixas de Lazer será extinto no próximo dia 3 de fevereiro e dará lugar a um novo circuito que, segundo a Prefeitura, será mais atrativo e educativo.
"