Noticias

Bruno Pessuti defende a sustentabilidade no transporte coletivo - Bruno Pessuti

Bruno Pessuti defende a sustentabilidade no transporte coletivo

20 de Março de 2013
A tarifa do transporte coletivo tem sido debatida intensamente em Curitiba. O Fórum Popular da Mobilidade Urbana realizou uma audiência pública na Câmara de Vereadores de Curitiba para tratar dos constantes questionamentos referentes ao preço da tarifa ao passageiro, assim como, a metodologia do cálculo da tarifa técnica no Sistema integrado de transporte coletivo na Região Metropolitana de Curitiba, as isenções e as soluções para melhorar o serviço, alvo constante de críticas.
Durante a Audiência Pública, por vezes o Hibribus foi criticado, principalmente devido ao seu alto custo de aquisição, fato que segundo muitos presentes, impacta negativamente no sistema.
Como Presidente da Comissão de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável, Bruno Pessuti, que é Engenheiro Mecânico, fez cálculos utilizando a planilha da URBS que indica os custos do sistema e mostrou aos participantes da Audiência que as pessoas estavam equivocadas.
Parece-me que estamos aqui em frente a um telhado de telhas de prata com apenas uma telha dourada, e só estamos olhando a telha dourada" Disse Bruno ao defender que o Hibribus não é o problema do transporte na cidade de Curitiba.
"O Hibribus é um ônibus do tipo Padron, logo tem que ser comparado com um ônibus Padron e não com um Expresso. Dessa forma, a única coisa que podemos criticar é que o usuário arca com a diferença de custo entre um Padron convencional e um Padron Híbrido, que chega a 88%. Porém, se consideramos que não tivéssemos os Hibribus, somente o Padron Convencional, a economia seria de 0,5% no custo do sistema."
Bruno frisou que as vantagens para a coletividade da cidade são bem maiores que o custo do sistema híbrido. "Os benefícios proporcionados pelo Hibribus, não só pela redução de poluentes, mas também pela conscientização da preservação do meio ambiente proporcionada pelo ônibus híbrido são suficientes para arcar com essa pequena elevação de custos".
Bruno é Engenheiro Mecânico e participou do Projeto que faz com que algumas linhas utilizem 100 % de Biodiesel como o Hibribus

"