Noticias

BILHETE ÚNICO SANCIONADO Passagem de ônibus a R$ 3,50 em horários de menor movimento - Bruno Pessuti

BILHETE ÚNICO SANCIONADO Passagem de ônibus a R$ 3,50 em horários de menor movimento

01 de Outubro de 2019

O prefeito Rafael Greca sancionou, dia 26 de setembro, o projeto de lei de iniciativa do vereador Bruno Pessuti, que diminui o preço da passagem de ônibus fora dos horários de pico. “A sanção dessa lei marca uma nova forma de a população se relacionar com o transporte coletivo em Curitiba”, destacou Pessuti.

A nova tarifa começa a valer a partir de 16 de outubro, com preço de R$ 3,50, e será implantada gradativamente em 17 linhas – 14 convencionais e três alimentadores”, atingindo cerca de 80 mil pessoas por dia (veja abaixo quais linhas terão tarifa reduzida). A passagem R$ 1 mais barata valerá para os horários de 9h às 11h e das 14h às 16h e somente para pagamento com o cartão-transporte.

Para Bruno Pessuti, a principal vantagem da iniciativa é atrair usuários para o Transporte Coletivo "O número de passageiros vem caindo a cada ano. Precisamos de novas alternativas tarifárias para incentivar o curitibano a usar o ônibus. A tarifa técnica está diretamente ligada ao número de passageiros/dia no sistema. Quanto mais gente usar o transporte público, maior a chance de reduzir este preço e qualificar o serviço", explicou o vereador.

O prefeito Rafael Greca também comemorou a cobrança diferenciada: “Nós estamos inovando, pela primeira vez criamos uma tarifa diferenciada e temporal. A ideia é que as pessoas possam ir e vir entre os bairros e o Centro, na hora que não é de pico, pagando um preço menor”, disse.Greca explicou que se trata de uma experiência, para ver se a cobrança diferenciada não afeta o equilíbrio financeiro do sistema. “Sendo um sucesso,
vamos ampliar”, anunciou.

Vantagens
Segundo o presidente da Urbanização de Curitiba (Urbs), Ogeny Pedro Maia Neto, além da atração de mais usuários, que vão pagar menos pela passagem, a flexibilização deve trazer também a diminuição da demanda nos horários de pico, o que pode gerar mais conforto para os usuários. Também haverá impacto positivo na gestão operacional da frota, com melhor distribuição do uso dos veículos ao longo do dia, diminuindo a ociosidade do
sistema. 

“Todas estas linhas têm queda média de 21 a 27% nos horários entre picos, enquanto a queda média do sistema total é de 18%”, disse Maia Neto. A lei sancionada vai trazer modernidade ao sistema de transporte, com a
possibilidade de, além das novas opções de tarifa, haver mudança no tempo de uso dos bilhetes e de utilização dos ônibus na cidade.

“Um transporte público moderno não é feito apenas de novos ônibus e estações-tubo, mas também da elaboração de políticas tarifárias flexíveis, inteligentes que estimulem o curitibano a circular em nossa cidade de múltiplas
formas”, destacou Bruno Pessuti. 

Bilhete único
Além da tarifa mais barata, também já está no radar da Urbs e da Prefeitura a criação de bilhete para uso em um único dia, semana ou mês. O “Bilhete Único” poderá permitir ao usuário pegar mais de um ônibus pagando apenas uma tarifa. Em tal sistema, o usuário adquire uma espécie de “assinatura”, válida por um período de tempo - mensal, semanal ou diária, por exemplo. Dentro desse intervalo, pode embarcar e desembarcar quantas vezes quiser, independentemente de estações-tubo ou terminais. 

“Com essas medidas em prática, qualquer trabalhador poderá utilizar livremente o transporte coletivo durante um mês com o custo equivalente ao de um tanque de gasolina para um carro”, contou Pessuti.

Para viabilizar essas melhorias, a redação do projeto do vereador Bruno Pessuti (005.00016.2017) alterou a lei municipal 12.597/2008, que dispõe sobre a organização do sistema de transporte coletivo da cidade de Curitiba.