Noticias

Asfalto sustentável: vereador pede proibição de uso de solventes derivados de petróleo em obras nas ruas curitibanas - Bruno Pessuti

Asfalto sustentável: vereador pede proibição de uso de solventes derivados de petróleo em obras nas ruas curitibanas

26 de Agosto de 2013
Pensando na qualidade ambiental de Curitiba, o vereador Bruno Pessuti (PSC) pede a proibição do uso de solventes derivados de petróleo – como diesel, querosene e gasolina - na compactação do asfalto aplicado nas ruas da cidade. O projeto de lei que trata do assunto foi protocolado sob o número 005.00316.2013 está tramitando na Câmara Municipal desde o início deste mês.
“O uso deste tipo de produto acarreta em dois problemas: na poluição ambiental e na redução da qualidade do asfalto finalizado”, informa Bruno Pessuti. Segundo o vereador, a poluição ocorre já nas primeiras chuvas, quando o solvente em excesso escorre e, junto com a água das chuvas, vai parar em córregos e rios.
Já a qualidade do asfalto é prejudicada porque os solventes dissolvem um dos componentes da massa asfáltica, o ligante – reduzindo a vida útil do asfalto aplicado e, consequentemente, aumentando a necessidade de reparos e reformas.
Em São Paulo, o Departamento de Estradas e Rodagens (DER) não permite a utilização de óleo diesel e gasolina nas caçambas que carregam o Concreto Betuminoso Usinado a Quente (CBUQ), um dos tipos mais comuns de revestimentos asfálticos utilizados no país, justamente porque os derivados de petróleo dissolvem o ligante. “E se os solventes acima citados dissolvem o ligante asfáltico na caçamba, o mesmo também ocorre na pavimentação”, avalia o vereador.