Noticias

ALTERAÇÃO NA REGULAMENTAÇÃO DOS APLICATIVOS DE TRANSPORTE - Bruno Pessuti

ALTERAÇÃO NA REGULAMENTAÇÃO DOS APLICATIVOS DE TRANSPORTE

28 de Junho de 2018
ALTERAÇÃO NA REGULAMENTAÇÃO DOS APLICATIVOS DE TRANSPORTE

Fizemos uma sugestão ao município para alteração do decreto que regulamenta a atuação dos veículos de transporte individual de passageiros em Curitiba.

De acordo com a legislação atual, apenas carros com idade de até cinco anos de fabricação podem ser utilizados para o transporte, com exceção dos carros adaptados a PCDs e os híbridos e elétricos que podem ter até oito anos de idade.

O índice de desemprego no Brasil continua alto. Diversos motoristas usam os aplicativos de transporte individual, pois precisam complementar a renda familiar ou porque estão desempregadas e ainda não conseguiram uma recolocação. Muitas delas não possuem condições de adquirir um veículo novo, entrando em financiamentos longos ou dívidas desnecessárias, para prestar o serviço de transporte individual, por isso é necessário adequar o decreto e ampliar a oportunidade de renda às pessoas.

Com a idade máxima de cinco anos, muitos veículos pouco utilizados, automóveis de família com baixa quilometragem e que possuem plenas condições de prestar um confortável e excelente serviço para aplicativos, não se encaixam no Decreto vigente pelo ano de fabricação ser superior, obrigando o prestador de serviço de aplicativo a trocar o carro por um de qualidade inferior, porém mais novo.

Da mesma forma, com a limitação de idade dos veículos, aumenta-se a possibilidade da formação de frotas particulares, com veículos provenientes de leilões, por exemplo, o que prejudica os prestadores de serviço que querem usar seus carros particulares nos aplicativos.

Alguns veículos mais antigos que cinco anos, que pertençam ao prestador de serviço, contam com conforto superior a alguns veículos zero quilômetro e com os mesmos valores de mercado, porém não se encaixam no decreto somente pela questão do ano de fabricação. Queremos que estes veículos também possam ser usados na prestação de serviços, pois em várias ocasiões, estão muito mais adequados em conforto e segurança do que veículos novos e populares.

Quem controla a qualidade do serviço é o próprio usuário, e motoristas que não prestam um bom atendimento ou não oferecem conforto e seguranças são denunciados e excluídos do sistema. Nada mais justo do que oferecermos mais oportunidades de trabalho aos bons motoristas e mais conforto e segurança aos usuários.